Como reter os talentos da geração Y?

16/11/2017

Para as gerações anteriores a essa, ter a carteira assinada é sinônimo de sucesso, já para a geração Y a estabilidade em um emprego não tem muito valor, então como podemos manter esses talentos dentro da empresa?

Antes de qualquer coisa precisamos ter claro em nossa mente quem é a geração Y, como ela se comporta, quais são os seus anseios, visões de mundo e os principais valores que os movem.

Essa geração se limita às pessoas nascidas em torno dos anos 1980 a 1990, onde a característica principal é a vasta experiência assim como o grande número de lugares em que já trabalharam.

Segundo dados recolhidos de uma pesquisa realizada pelo Pwc (PricewaterhouseCoopers) sobre a geração Y e sua relação com vínculos empregatícios, somente cerca de 18% dessa geração tem a pretensão de continuar estabilizados onde já estão trabalhando contra 38% de empregados que estão à procura de outro trabalho e ainda 43% que apesar de satisfeitos com o trabalho atual, estão abertos a novas ofertas que possa surgir.

A geração que cresceu junto com os avanços tecnológicos está acostumada a ter resultados rápidos e promissores, por isso a dificuldade de mantê-los dentro da empresa. Mesmo apresentando um bom plano de carreira, eles não estão interessados em projetos que envolvam muito tempo para desempenhar. Outros pontos que não tem efeito nos participantes dessa geração é utilizar de recursos como promoções e aumentos salariais uma vez que eles estão muito mais interessados na qualidade de vida que levam. A pesquisa apontou que 20% deles preferem o bem-estar do que grandes salários, inclusive cerca de 65% dos participantes da pesquisa tem preferências pelo homework e/ou horários flexíveis.

Uma das melhores maneiras de conseguir manter essas pessoas nas empresas podem ser aplicadas muito antes da contratação, a partir da observação dos responsáveis pelo recrutamento. É necessário que o gestor se coloque na posição do entrevistado para conseguir absorver mais fielmente as suas necessidades e desejos referentes a empresa. Antes de contratar é preciso compreender se o trabalho irá usar as habilidades do profissional. Outro ponto interessante para fins de esclarecimento sobre as percepções do futuro tanto para a empresa como para o contratado é a ajudar a projetar o caminho a ser percorrido.

Depois da contratação os desafios continuam, pois, essa geração é exigente e como já disse, quer resultados rápidos e promissores.

Ouvir o que eles têm a dizer além de dar a importância que eles querem pode ser muito vantajoso para a empresa já que eles vêm com uma bagagem mais atualizada quanto ao cenário atual.

Diminuir as distâncias na hierarquia pode ser promissor pois a geração Y não aceita muito bem chefes, mas sim buscam líderes para guia-los ao melhor caminho.

Oferecer cursos que agreguem o conhecimento desses profissionais também pode ser um fator determinante para a retenção.

A melhor maneira de conseguir manter esses talentos na empresa é estar atento e preparado para esse tipo de demanda. O Coaching é uma ferramenta preciosa na capacitação dos profissionais responsáveis pelo recrutamento de colaboradores e com ele a assertividade tende a ser bem mais efetiva.


Venha fazer Coach no INBRATA

@andersonluizcoach!